Na mesma semana duas destas caminhonetes com problemas críticos

amarok

Vou dividir em dois artigos para falar destes problemas:

Neste artigo escrevo sobre o problema:

Correia de sincronismo quebrada (correia dentada)

e no outro artigo vou abordar o assunto sobre: Sumindo água do motor Amarok

Os dois problemas foram solucionados e acredito que é importante repassar aqui para os meus leitores, reparadores, curiosos, proprietários e afins.

Um novo reparador técnico em nossa oficina

Antes quero apresentar nosso novo companheiro de serviço: o Guilherme e também nossa oficina do Grupo Santi.

Guilherme - reparador automobilístico respeitado, trabalhou muito tempo como técnico de controle de qualidade em uma  concessionária Nissan. Obteve boas amizades gerando assim, muitos contatos com amigos de concessionárias como: Toyota Hilux, Volkswagen, Mitsubishi, além de ser especialista em caminhonetes e outros veículos sistema Otto da Nissan. Agora está se especializado em caminhonetes – Toyota Hilux, Amarok , Mitsubishi e também em sistema eletrônico Cummins, MWM, Mercedes e Man e recentemente presenciou cursos do sistema Arla. Também está se adequando aos novos modelos e se aperfeiçoando em reparação do sistema Otto de várias marcas. Trabalha muito bem em equipe, claro se estiver lhe ajudando, caso contrário elimina rapidamente.

Falo para o Guilherme que agora tive uma folga, porque antes era retifica e todos os problemas em caminhonetes e caminhões eletrônicos eram por minha conta, agora sou seu ajudante e dos demais quando posso. Claro que estamos juntos para o que der e vier, todos os problemas são dos conhecimentos de toda a equipe, alguns ajudam bastante outros não sei porque querem atrapalhar. "Em oficinas grandes tem estes contratempos". Do contrário se houver pepino, estamos todos juntos para solucionar.

A falta de profissional em reparação automotiva

O maior problema dentro de uma oficina especializada como a nossa por exemplo: é encontrar um reparador técnico capacitado, inteligente e com determinação principalmente na linha diesel. Nem todos querem mexer na linha diesel, para falar a verdade, de 10 reparadores 3 é reparador diesel e 1 é reparador diesel e Otto. Este é o caso do Guilherme, o meu e de outros reparadores que tem em nosso grupo.

Nossa oficina

Nossa oficina é a Mecânica Central e matriz do Grupo Santi. Atendemos a todos e todas as marcas. A medida do possível raramente deixamos de atender nossos clientes, jamais deixamos que saiam com seus veículos sem os devidos reparos.

Qualquer dúvida pode entrar em contato com nossos técnicos reparadores sobre qualquer assunto relacionados a reparação automotiva pelo telefone (67) 3441-1662. Através deste contato será direcionado se preferir ao número de celular dos técnicos que queiram tais informações. Se tiver ao alcance de uns dos nossos técnicos serão atendidos sem problemas.

  • Edvaldo - Reparador técnico - linha leve e pesada (motor), retificador
  • Guilherme - Reparador técnico -  linha leve e pesada diesel, reparação sistema Arla e outros;
  • Gesse - Reparador técnico - linha leve gasolina;
  • Gilberto (ninja) - Reparador técnico - linha leve gasolina e linha leve diesel.

Caso esteja por perto é só acionar nossos serviços de guincho ou entrar em contato pelo telefone (67) 3441-1662 estamos prontos a atender. Nossa oficina é a Mecânica Central e Auto Peças do Grupo Santi, o endereço na internet segue através do link Mecânica e auto peças Central neste endereço estão todos os dados de nosso grupo (endereço, atividades, lojas, etc).

Assunto de hoje

Correia de sincronismo quebrada (correia dentada) motor da Amarok

A mesma chegou até nossa oficina sobre reboque guincho plataforma de nossa empresa e foi direcionada imediatamente para reparos ao nosso reparador técnico Guilherme.

As primeiros diagnósticos é conversar com o proprietário ou condutor do veiculo, depois é analisado como aconteceu o problema, baseando se na conversa anterior e claro usando do profissionalismo. Agindo assim conclui se os problemas foram:

De repente;

Ou já havia indícios de desgastes ou;

Não houve atenção no painel de instrumentos pelo condutor.

De uma forma ou de outra não importa, apenas usamos desta técnica para pegar o caminho mais fácil para os reparos.

Raramente o dono sabe explicar o que aconteceu realmente e muitas vezes, não dá mesmo para ter uma previsão, explicação, ou algo do gênero. Acontece tão rápido que as vezes nem percebemos. Mas neste caso posso afirmar que houve sim tempo de parada para manutenção, porque houve quebra de muitos outros componentes, isto quer dizer, que a correia dentada não se rompeu imediatamente e sim, houve um avanço do ponto de sincronismo, ou seja, como na linguagem popular “pulou dente” ou “roçou os dentes da correia”!

Como acontece a quebra da correia dentada?

Quando a correia dentada se rompe repentinamente, o motor afoga imediatamente e não funciona mais, porque os comandos de válvulas não trabalham e se não trabalham não existe admissão e muito menos compressão, porque entortam se as válvulas, enfim, acabam se o tempo motor!

No caso da correia dentada pular sobre os entalhes (dentes), das engrenagens o motor trabalha fora do ponto. Fica ruim para pegar o motor, o funcionamento fica péssimo, aumenta o consumo, o motor perde força, amarra, a injeção fica fora (perigo de engripamentos dos pistões nos cilindros), falha, o motor bate, atropelamentos das válvulas e ainda acende a luz de anomalia do sistema de injeção e outros problemas.

No caso desta caminhonete o que aconteceu foi que o rolamento tensor travou e a correia por sua vez bamba, pulou vários dentes e com o choque das válvulas sobre a cabeça dos pistões entortaram-se, por consequência os balancins saem fora de seus alojamentos que nada mais é, que: os pés das válvulas e a cabeça dos tuchos hidráulicos. Saindo fora eles travam os comandos e rompem a correia dentada, quebra o comando ou deslocam seus cames (porque são tubulares e os cames soldados a este tubo), roçam engrenagens, quebram balancins ou balanceiros, gaiola dos mancais dos comandos, enfim, causam um estrago.

Por onde começar o diagnóstico?

Do conhecimento de todos estes fatos, o técnico reparador vai diretamente a todas estas opções. Em primeiro lugar ele analisa o acontecido visualmente, neste caso o:

  • Primeiro item observado foi o rolamento do tensor da correia dentada e o tensor obviamente. O rolamento encontrava-se travado e o tensor deslocado de sua posição normal de trabalho um dos motivos do rompimento da correia dentada;
  • Depois analisa o estado da correia dentada. Neste modelo de motor usa se correia dentada para o sincronismo, em outros modelos usam engrenagens e em alguns outros modelos correntes.
  • Na correia dentada não havia falta de dentes, mas o rompimento era bruto, indicando claramente para o técnico que houve uma intervenção muito brusca para a quebra da mesma.

Prosseguindo com o diagnóstico, retira se então a tampa de válvulas e ali está toda a comprovação que houve mesmo, avanço no ponto de sincronismo do motor, muito além de um ou dois dentes da correia dentada sobre as engrenagens.

Precisão nos primeiros diagnósticos

O diagnóstico deve ser feito calmamente e com conhecimento, analisando sempre e buscado a explicação da causa, para não ficar trabalhando inutilmente duas, três ou mais vezes. Imaginam se o técnico já começa a trocar o rolamento estragado, correia quebrada e quando chegar ao sincronismo do ponto o motor não roda e se rodar, após todo os serviços executados o motor não funcionar? Que decepção! Que perca de tempo!

Na retifica é entregue o cabeçote para o analise final

O cabeçote chegou até a retifica do mesmo grupo, na qual tem o meu comando

Na desmontagem do cabeçote na retifica, foram confirmadas as análises do reparador técnico (Guilherme) que: Na quebra da correia dentada, quebraram também os balancins, entortaram as válvulas, danificaram os tuchos de válvulas e os dois comandos de válvulas e o cabeçote.  Os cames dos comandos deslocaram de suas posições.

Caso não fosse percebido estes detalhes dos comandos de válvulas e montados novamente, o motor não iria funcionar e, se funcionasse iria falhar, pipocar trabalhar totalmente fora de sincronismo, fumacear branco podendo novamente dar problemas nas válvulas do cabeçote.

Tivemos recentemente no motor de uma Van Jumper, motor multi jet da Iveco um destes problemas que duraram quase duas semanas para que descobríssemos o defeito. Tivemos mais uma vez que trabalhar em equipe para solucionarmos os problemas também deste veiculo. Ainda vou postar aqui o que aconteceu realmente nos detalhes!

Continuando...

Outros problemas consequentes da quebra da correia ou sem duvida já vinham acontecendo, pois como disse pegamos a caminhonete sem poder funciona-la.

Outro estrago aconteceu na bomba de vácuo, que vai justamente ligada em um destes comando de válvulas para ser acionada, como ouve interrompimento do funcionamento dos comandos de válvulas a mesma veio a sair fora de seu alojamento, travando o seu eixo excêntrico. Isto foi descoberto após a montagem do cabeçote e da bomba posteriormente.

Após concluir todos os reparos e pronto para o funcionamento usamos sempre conferir tudo novamente para ter certeza que está tudo ok, porem ao rodar o motor para certificar da posição correta dos pontos entre o comando, a bomba e o virabrequim e outros dados, houve uma interferência ao girar o mesmo, o motor rodava pesado, algo travava em certo ponto. Então retirou se a bomba de vácuo, porque isto aconteceu logo após a seu acoplamento ao motor. Ao abri-la foi constatado que a mesma estava com avarias devidos os acontecidos, pois a mesma também trabalha acoplada a engrenagem de um dos comandos, na parte traseira do mesmo.

Havia ainda outro problema de funcionamento. O sistema de arrefecimento não indicava no painel normalidade na temperatura, foi então constatado que o eletro-ventilador, não estava acionando como deveria. Nesta caminhonete o sistema de ventilação e controle de ventilação do radiador de água é também gerenciado eletronicamente e o mesmo não atendia os parâmetros normais de funcionamento. Abrimos o mesmo e foram constatados curto circuito em sua placa eletrônica.

Solução dos problemas

O cabeçote, a gaiola de alojamentos dos comandos, os comandos, as válvulas, tuchos, balancins também a bomba de vácuo e o eletro-ventilador foram todos substituídos. Outras manutenções foram feitas e todo o sistema eletrônico monitorado e corrigido.

Motivos das avarias e anomalias

Os motivos destas avarias foram relacionados por:

  • Falta de manutenção preventiva.
  • Correia dentada acima da quilometragem exigida pelo fabricante.
  • Falta de atenção no funcionamento do motor. Neste caso uma lâmpada de avaria acende no painel, pois o motor está trabalhando fora de sincronismo e o sensor de posição de PMS (ponto morto superior) e até de rotação enviaria sinal para a central que o funcionamento estão fora dos padrões. A central por sua vez, detectaria que os sinais estão sendo emitidos errados, fora do tempo.

Estes erros são gravados na memória de analises da central. A central tem todos os parâmetros gravados em bancos de dados para corrigir os erros ou então pedir que sejam corrigidos através da advertência que envia ao painel de instrumentos, indicando ao condutor que precisa de revisão no sistema. Esta iniciativa cabe ao condutor fazer, levando imediatamente até um reparador especializado para ser visto e sanado. Resumindo, o motor e todo o sistema, tem comportamentos fora do normal quando nestas situações!

Esta caminhonete como todas as marcas deste porte circulando, alerta o condutor quando de uma possível manutenção preventiva. Os alertas são:

  • Quando está próximo a vencer a quilometragem da correia dentada;
  • Água no sistema de alimentação (combustível);
  • Período de troca do óleo e filtro;
  • Filtro de ar obstruído;
  • Panes no sistema eletrônico;
  • Temperatura anormal;
  • Sistema de turbo com problema e outros alertas.

O sistema recebe todas as informações ligadas e requer manutenção de caráter urgente, pois são programados para gerenciar e proteger todo o sistema monitorado sem interrupção.

Não adianta querer tampar o sol com a peneira, ou então terás grandes prejuízos.

O segundo problema é que a água sumia do motor: Clique no link #Sumindo água - motor Amarok e veja como foram resolvidos!

Conheça também os manuais técnicos:

MTCO - Manual técnico de Corte de Óleo

MTRMF - Manual técnico da Retifica Motor do Fusca


Gostou do artigo?

Deixe aqui o seus Comentários a sua Opinião, Compartilhe!

Siga me também no Twitter - Facebook - Linkedin - Google+

Ou então Assine a Newsletter de Mecânica Solique e receba as novidades do blog em seu E-mail.


Mais sobre: , , , , , ,