Defeito colocado

Você acha que já viu de tudo e, de repente aparece na sua oficina um problema deste pra resolver. Leem o artigo e analise o caso.

Este é um problema num motor da família EA111 At 1.0 16 válvulas turbo da Volkswagen com problemas de lubrificação no cabeçote que deixou um mecânico sem saber o que fazer em sua oficina. Na verdade não resolveu.

Diagnostico do primeiro mecânico

O mecânico conta segundo relatos do proprietário que o motor aqueceu e que o cabeçote foi trocado.

O cabeçote vindo da retifica de outra cidade foi colocado no motor, porem batia muito os tuchos e a luz do óleo não apagava.
Não tendo opção e achando que problema era no cabeçote o proprietário mandou de volta para a retifica.

O mesmo foi trocado inserido novamente no motor, porem não resolveu o problema.

Aí começa diagnosticar outras partes do motor a procura dos problemas, que no caso é ausência de lubrificação na parte superior do motor. Troca bomba de óleo, bronzinas, pescador, tuchos e os problemas persistem.

Não resolvendo insiste ainda bater na mesma tecla o cabeçote. Retira-o novamente manda para nossa retifica na esperança de ter ali algo errado.

Nosso diagnostico para o mecânico

Ao recebermos o cabeçote desmontamos, medimos folgas dos alojamentos dos tuchos, os comandos, guias de válvulas, analisamos os tuchos, válvula de retenção outras válvulas e nada de errado.
Ligamos para o amigo mecânico dizendo a ele que o cabeçote não tinha problemas, mesmo assim pediu para que trocássemos os tuchos, e a válvula de retenção que não foi trocada anteriormente fizemos isto mas sem sucesso. O problema persistia.

Fomos na oficina deste mecânico trocamos algumas ideias do que vinha acontecendo, porque que foi trocado o cabeçote, a bomba de óleo e coisas do gênero, resultado não chegamos à nenhuma conclusão do que poderia estar acontecendo.

Disse a ele que o problema poderia ser no restante do motor, alguma galeria obstruída, fuga de óleo pelas bronzinas de mancal, a própria bomba de óleo ou algo parecido poderia estar com problemas. Para isto o motor deveria ser desmontado completo para maiores e precisos diagnósticos.

Parecendo não concordar com nosso opinião dizia já ter examinado tudo e algo mais, enfim não conversamos mais.

O dono do veiculo

Passados alguns dias chegou em nossa oficina, precisamente na retifica um jovem pedindo algumas informações sobre um motor de um veículo com as mesmas características e problemas, imediatamente já imaginava que se tratava do mesmo assunto. Ouvi o que tinha para falar e passei o meu diagnostico.
Disse a ele para trazer o seu carro na nossa oficina ou o motor que iríamos desmontar por completo, ai sim descobriria qual era o problema. Pediu um orçamento foi embora e disse que ia ver o que fazer.

Dias depois

Ficamos sabendo que este carro estava na nossa outra oficina e o chefe de lá me ligou relatando os problemas, disse a ele estar por dentro do assunto. Dois dias depois trouxeram para nos na retifica o motor completo.

Desmontamos todo o motor, fizemos uma limpeza química e na banca com todas as peças passamos para as análises de onde poderia ser o problema da ausência de lubrificação para o cabeçote.
Notamos também que o mesmo precisava ser retificado por completo, porque tinha desgastes no virabrequim, bucha de bielas, nos pistões somente o cabeçote ficaria isento de retifica, porque já tínhamos feito completo pela segunda vez, isto aconteceria caso fosse descoberto o problema. Passamos para o cliente e ele concordou com as condições.

Diagnostico da retifica

Medimos alojamentos de mancal, buchas das bielas, examinamos a bomba de óleo, pescador, galeria principal, possíveis trincos nos mancais, no virabrequim e nada de errado a não ser o já mencionado. Bem, todas as galerias principais e dos alojamentos das bronzinas de mancal estavam boas, sem problemas, sem indícios de trincos, limpas exceto uma que chamou nossa atenção!

Problema encontrado

Analisando melhor e com calma verifiquei que havia algo de errado na galeria de óleo por onde sobe o óleo para lubrificação do cabeçote e com isso manter o mesmo lubrificado, os tuchos carregados e a pressão de todo o sistema perfeito, pois é no cabeçote que se mede a pressão do óleo deste motor.

A minha suspeita de que havia algo errado nesta galeria não falhou. Veja na imagem abaixo o que encontrei na galeria. Inacreditável!

Clique na imagem para ampliar

Defeito inédito

Depois de algum tempo de analises e medições, resolvemos inserir um arame nesta galeria e notamos que o mesmo não chegava até a galeria principal. Perguntas vieram: Seria uma válvula de retenção, por se tratar de um motor turbo? Será que esta galeria esta entupida com borra?

Trocando ideias chegamos à conclusão que esta galeria estava entupida, e ali baseando em outros motores da mesma família, chegamos a conclusão que nas galerias deste motor não existe qualquer interferência, retenção e sim é um canais livres como nos demais. Até então para nós isto era um defeito inédito, na verdade não era um defeito comum, pois foi colocado.

O primeiro pensamento como mencionado é que poderia ser borras e cutucando com um material mais sólido esta sujeira iria sair e com isto eliminar o problema, mas não foi fácil como pensado, o material que obstruía era muito mais do que uma simples borra que se desmancha facilmente apenas com banho químico, mas esta não se desmanchou.

A obstrução era um parafuso da medida da galeria e para retirar precisamos bater com uma marreta sobre um pino para o mesmo descer. Outro problema foi para retirar o mesmo quando chegou até a galeria principal, pois ficou metade para cima, precisando entortar o mesmo e com jeito retiramos o dito.

Este é um problema difícil de diagnosticar, porque é um defeito colocado e bem colocado!

Não me pergunte como este parafuso foi parar ali nesta galeria, e também não sei qual o motivo para que foi colocado.
No meu ponto de vista não deveria estar ali e quem colocou não sabe o que estava fazendo ou sabendo não sei quais foram as intenções.