«

»

Injeção Eletrônica – Sistema LE-JETRONIC

Continuando com o sistema de injeção eletrônica apresento hoje:

Sistema LE – Jetronic

Este sistema foi desenvolvido pela BOSCH, e é consagrado pelo mundo um do melhor sistema já vendido. São milhões de unidades já vendidas. O aperfeiçoamento continua dos sensores e das unidades de comando tem tornado este sistema de injeção seguro e preciso. Os novos circuitos para a avaliação dos sinais de medição têm possibilitado a obtenção de operações mais econômicas e confortáveis para o motor do veiculo.

Nomenclatura do sistema LE-Jetronic:

L = Luft = AR

E = Europa;

Jetronic = Sistema eletrônico de injeção de combustível.

Este sistema foi o primeiro utilizado no Brasil em 1989, com o lançamento do Volkswagen/Gol GTI. Posteriormente foram aplicados em outros modelos como: Fiat, Ford e a GM.  O LE-Jetronic é um sistema multiponto, utiliza uma válvula injetora para cada cilindro. Neste sistema a massa de ar admitida pelo motor é calculada pela unidade de comando (central), tendo como principais parâmetros:

  • O medidor de fluxo de ar – VAF;
  • O sensor de temperatura do ar – ACT;
  • O sensor de temperatura da água – CTS;
  • Trabalha em malha aberta, ou seja, não utiliza sensor de oxigênio (sonda lambda).

O seu sistema de injeção é analógico, não “conversa” com aparelhos do tipo scanner. Por isso, não há conector de diagnostico ALDL (conexão entre a UCE e o aparelho scanner). Somente poderão ser diagnosticados através de multímetros, analisador de polaridade e o osciloscópio. Estas são as particularidades negativas deste sistema, que a dificuldade dos diagnósticos de defeitos, principalmente nos casos de defeitos intermitentes.

Os veículos equipados com este sistema ainda possuem distribuidor. Alguns deles dispensam a utilização de avanço a vácuo e centrifugo, por serem equipados com uma unidade de comando responsável pelo controle do avanço de ignição, denominada EZK. A unidade EZK controla a lâmpada de manutenção urgente e envia sinal de avanço de ignição para a unidade LE. O controle do primário da bobina é feito por um modulo eletrônico interno a unidade LE, denominado modulo TSZ. Em alguns veículos, como o Gol GTI, o TSZ é externo à unidade LE.

Veja o Diagrama do sistema:

O sistema LE-Jetronic utiliza uma válvula injetora para cada cilindros do motor, por isso, é também conhecido como MULTIPOINT (MPFI/MP). Neste sistema os injetores são comandados pela Central (UCE), e a injeção de combustível é simultânea, ou seja, todas as válvulas são acionadas ao mesmo tempo.

Componentes do sistema LE-Jetronic

Funções e detalhes dos componentes do sistema LE-Jetronic:



1 – Tanque de combustível

Neste componente é estocado e armazenado o combustível. É onde inicia o sistema de alimentação do motor do veiculo.

2 – Bomba elétrica

O combustível é sugado do tanque através de uma bomba elétrica, que fornece combustível sob pressão a um tubo distribuidor (flauta), onde estão fixadas as válvulas de injeção (bicos injetores). Normalmente a quantidade de combustível bombeada para o sistema é maior do que o necessário, mantendo o sistema sob pressão em todos os regimes, o excedente retornará para o tanque. Apesar de o combustível passar por seu interior, ela não representa risco de explosão, pois, internamente não ocorre oxidação do carburante.

Observação importante: Não há possibilidade de manutenção na bomba elétrica, porem deverá ser testada periodicamente e substituída quando necessário.

3 – Filtro de combustível

Tem por finalidade filtrar as impurezas do combustível que está depositada no tanque de combustível, evitando que chegue até o sistema combustível contaminado. O filtro é composto por elemento de papel, peneira e placa de apoio.

Por isso a seta de indicação que vem gravada nos cartuchos dos filtros deve sempre ser direcionada para a linha de combustível do veiculo. Este é um dos componentes mais importantes para a vida útil do sistema de alimentação de combustível. Recomenda se trocar a cada 20.000 km em média, pois se houver entupimento do filtro, a bomba de combustível poderá ser danificada.

Na maioria dos veículos está instalada próximo ao tanque de combustível, e por estar localizado em um lugar de difícil acesso, pois fica por baixo do veiculo, muito das vezes é esquecido a sua substituição quando necessário a sua troca ocorrendo problemas de funcionamento do motor, às vezes fazendo com que o veiculo pare até de funcionar.

Substituição do filtro de combustível:

Para a desmontagem solte o suporte do filtro (1);

Desenrosque as mangueiras de entrada e saída de combustível, reserve uma vasilha para aparar o combustível, pois, irá derramar um pouco (2 e 4);

Durante a montagem leve em consideração o sentido da flecha gravada na carcaça do filtro, pois, a mesma indicará o sentido do fluxo do combustível, que é direcionado para a linha que leva o combustível até o motor (3).

4 – Regulador de pressão

Tem a finalidade de regular a pressão do combustível em toda a linha do sistema, a pressão deverá ser constante para todas as condições de uso do motor. Deverá ainda manter uma pressão residual quando o motor estiver desligado, facilitando com isso, a partida a quente do mesmo.

O regulador de pressão é composto pelos seguintes dispositivos, veja na imagem abaixo:

5 – Adicionador de ar

Deverá atuar nos regimes de aquecimento do motor, elevando as rotações do motor, sendo que este fluxo deverá ser quantificado por um medidor de fluxo.

 6 – Válvula injetora

Tem a função especifica de injetar combustível pulverizado antes da válvula de admissão do motor, este comando é enviado pela central.

O injetor eletromagnético consiste em uma pequena câmara alongada em cujo interior é alojada uma agulha solidaria ao núcleo de um eletroímã. Quando não circula corrente na bobina do eletroímã, uma base cônica da agulha se mantém comprimida sobre o seu assento influenciado pela força de uma mola. Quando há corrente pelas espiras do eletroímã é produzido um campo magnético que desloca o núcleo e com ele a agulha, fazendo com que a base cônica separa de seu assento aproximadamente 0,15 mm.

O combustível é mantido sobre pressão em torno dos 2kg/cm², fluindo então pelo orifício anular calibrado e é pulverizado durante todo o tempo que dura a injeção (isto em poucos milissegundos). A quantidade de combustível depende do tempo que permanece aberto o injetor, isto é, o tempo do pulso elétrico fornecido pela unidade de comando (central).

Os injetores são montados no coletor de admissão, de forma que o combustível pulverizado seja direcionado para a parte superior das válvulas de admissão. Este método de injeção, além da vantagem de funcionar com pressões de injeção reduzidas, permite que a injeção seja realizada simultaneamente em um grupo de injetores todos de uma vez, o que simplifica a realização técnica do dispositivo.

O dispositivo que estabelece quantidade de combustível na medida certa  a injetar, segundo as necessidades do motor a cada instantes, depende fundamentalmente de um microprocessador eletrônico de controle.

Uma unidade microprocessadora é constituídas por centenas de componentes eletrônicos e semicondutores coordenados entre si e frequentemente conectados a diminutos circuitos conhecidos como: microcircuitos integrados.

Estes modernos circuitos reúnem componentes miniaturizados tais como:

  • Condensadores;
  • Diodos;
  • Transistores.

Formando uma unidade eletrônica de comutação.

Um destes microcircuitos podem medir aproximadamente 22mm² e podem reunir até 3.400 transistores e componentes diversos.

O microprocessador, “verdadeiro cérebro do sistema de injeção”, recebe, através de sensores ou sondas, informação constante sobre as variáveis mais importante que intervêm no funcionamento do motor, com a quantidade de ar que é admitida nos cilindros, a velocidade de giro do motor, temperatura da água, e temperatura do ar na admissão, etc.

Estes sinais eletrônicos elaborados pelo microprocessador após uma série de cálculos determina a quantidade exata de combustível exigida pelas necessidades do motor, para obter a máxima eficácia. O microprocessador traduz as informações recebidas em sinais elétricos para o comando dos injetores, fazendo com que os mesmos abram e fecham no tempo determinado.

Importante: A resistência do injetor entre seus terminais deverá ser de: 2 a 3 ohms, quaisquer outros valores indicam que os injetores deverão ser substituídos. Teste: Se com a bomba ligada por 20 segundos houver gotejamento no bico, também se faz necessário à substituição do mesmo.


    7.   Medidor do fluxo de ar

    Tem a função de informar a central, a quantidade e a temperatura exata do ar que sendo admitida pelo motor. Determinado assim a quantidade de combustível a ser pulverizada pelo injetor.

Esta medição é realizada a partir da quantidade de ar admitida e da força produzida pelo seu fluxo atuando sobre uma palheta sensora, constituída de uma mola calibrada.

Um potenciômetro transformará as variações da palheta em energia elétrica, e será enviada a central para cálculos da dosagem de combustível.

O medidor de temperatura do ar fica alojado junto com o medidor de fluxo e este deverá informar a central à temperatura do ar admitido. Estas informações também serão calculadas na dosagem do combustível.

 8.  Interruptor da Borboleta

Tem a função de informar a central a posição da borboleta de aceleração, quando esta estiver em marcha lenta, ou seja, (fechada) ou em plena carga (totalmente aberta).

Em condições normais este sensor não atua enviando informações.

Importante: Teste de medida do sensor de borboleta

Com a borboleta fechada, medir entre os terminais 2 e 18 o valor de resistência que deverá ser de zero ohms. Em qualquer outra posição o valor será infinito.

9.   Sensor de Temperatura

Este sensor é normalmente instalado no bloco ou cabeçote do motor, deverá estar em contato direto com o liquido de arrefecimento (água), onde medirá a temperatura instantânea.

Possui resistência NTC (Coeficiente Negativo de Temperatura), onde o valor da resistência se altera conforme a temperatura da água. Este sinal será enviado para a central e calculado a dosagem correta do combustível.

A seguir será apresentado um gráfico com a curva característica de resistência e temperatura do sensor do sistema LE-JETRONIC.

No gráfico é possível notar não uma curva, mas sim, uma faixa de valores, isto ocorre devido ao fato de as tolerâncias de fabricação das resistências NTC. Exemplo: a 20°C o valor da resistência de qualquer sensor deste tipo, já fabricado, deverá estar entre 2.200 ohms e 3.000 ohms. Dificilmente encontraremos dois sensores deste tipo com o mesmo valor de resistência para uma mesma temperatura.

 Importante: Este sensor é de vital importância para o sistema de injeção, devendo ser testado periodicamente e substituído quando necessário.

Medida do sensor de temperatura de modo simples:

Com um multímetro em função ohmímetro medir seus terminais a uma resistência de:

1,45 3,3 K ohms 15°C – 30°C
160 280 ohms >95°C

10. Unidade de Comando (Central)

A função principal da unidade de comando é determinar a quantidade exata de combustível a ser injetado no motor, baseando-se nas informações recebida dos vários sensores espalhados por todo o motor.

Após receber as informações (sinais emitidos pelos sensores), a central processa os dados e com pulsos elétricos emitidos para os injetores é possível determinar uma quantidade exata de combustível através destes mesmos bicos injetores, conforme a exigência de operação que está o motor no momento.

A unidade de comando é responsável pelo gerenciamento da injeção de combustível no motor determinando e limitando a dosagem no tempo certo.

Ela determina o tempo de abertura do eletro injetor e em função desta abertura é determinada a quantia de combustível injetado no motor.

11.  Relé de Comando

É o elemento responsável pela alimentação através da bateria de todos os componentes do sistema LE-JETRONIC, evitando acidentes. Sob qualquer parada do motor ele cortará a alimentação do sistema.

 Sinais de entrada do relé:

15 Positivo da chave de ignição
1 Sinal de rpm do negativo da bobina
50 Positivo da chave magnética do motor de partida
31 Negativo da carcaça
30 Positivo da bateria

Sinais de saída no relé:

87b Positivo que alimenta a bomba auxiliar e a bomba de combustível.
87 Positivo que alimenta o adicionador de ar, o interruptor da borboleta de aceleração, os resistores da válvula de injeção, o medidor de fluxo de ar e a unidade de comando.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Olá, Sejam todos Bem-Vindo ao Blog Mecânica Solique! Atualmente exerço a profissão de Retificador de Motores na linha diesel, álcool e gasolina. Também atuo como: reparador, montador de motores, alguns conhecimentos técnicos em motores com injeção eletrônica sistema diesel e Otto. Deixo claro que na mecânica automobilística é impossível ter conhecimentos totais, pois a cada dia nos é apresentado um novo desafio. "Ter conhecimentos e dedicação todos os dias, é que nos torna profissional em qualquer área, aprendendo todos os dias a ser melhor que ontem" (Edvaldo Dias Solique – (Ajustador Mecânico Automobilístico). Autor do Blog: Mecânica Solique Com o tema: "Mecânica dos Tempos Modernos" E também autor dos manuais técnicos: - Corte de óleo; - Retifica do motor do Fusca.

54 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. Niu

    Parabéns pelo site!

    Também sou um conhecedor dessa injeção eletrônica e dou suporte a esse sistema de injeção eletrônica

    1. Mecânica Solique

      Olá Niu, obrigado por seu comentário.

      Fico feliz em saber que não estou sozinho, nesta empreitada.
      E este já é um sistema bastante avançado, mas ainda há muita carência do funcionamento deste tipo de injeção.
      Mas, juntando os nossos conhecimentos e aprimorando os sistemas mais recentes, que pouca coisa mudou a não ser acessórios que através desta tecnologia, foram possíveis adequar também ao sistema de formas semelhantes ao da injeção. (que são o usos de módulos eletrônicos).
      E isto vem confundindo pessoas iniciantes e até mesmo veteranos.
      Então é sempre bom estar relembrando estes assuntos, que por um motivo e outro podem sim refrescar a memoria e encontrar o “x” da questão.

    2. claudio

      ola sou mecanico trabalho em casa estou com um problema gol gti 2.0 92 esse carro foi pra uma outra oficina para pintar o cofre do motor depois disso nao prestou mais tem uma falha na baixa quando começa acelerar so na baixa eles trocaram o cabeçote e nao resolveram agora ocarro esta aqui comigo antes de tudo isso ocarro nao tinha nada alega o dono preciso de alguma ajuda algumas dicas alias o led do painel nao esta acendendo por favor meajude

    3. Mecânica Solique

      Claudio,
      Problemas elétricos, falta de aterramento, fio cortado, quebrado, conector danificado, etc.
      Tem que ir fazendo testes, testes, até descobrir a causa, porque com certeza houve, quando da desmontagem para recuperação deste local, violação de algum fio, no chicote até provocação de curto-circuito por falta dos cuidados necessários a este tipo de manutenção.

  2. mestre dos sites

    Sempre tive curiosidade em saber como essas coisas funcionam, pelo menos agora da pra ter uma ideia! =p

    1. Mecânica Solique

      Ola mestre dos sites, agradeço pela sua visita e comentário.

      Na teoria é bastante simplificado e funciona exatamente como ditado. Na prática já é preciso um pouco mais de atenção, pois os elementos do sistema de injeção aplicado no veículo, precisamente no motor ficam quase que ausentes, somente técnicos formados são capazes de identificar. Até mesmo quem conhece e tem a prática costuma as vezes se enganar (assim rapidamente), por que os componentes são muitos parecidos e devido o tempo na oficina ser muito curto hoje em dia, acaba por um minuto, o mecânico, confundir-se com algumas anomalias do sistema. Mas nada complexo que não possa ser identificado e sanado rapidamente.
      Mas valeu a sua curiosidade, afinal todos os carros hoje são equipados com injeção eletrônica e ficar a par de alguns conhecimentos é sempre bom.

  3. genicy correa

    atuo na area da mecanica ja por alguns anos e agora estou ampliando meus conhecimentos sobre injeçao eletronica tenho feito um bom uso de todos os artigos que voce tem publicado muito obrigado e que o verdadeiro Deus continue te abençoando meus parabens

    1. Mecânica Solique

      Obrigado pela benção Genicy Correa, fico feliz que você esteja buscando conhecimentos nesta área da mecânica.
      Estas ampliações faz se muito importante na carreira profissional, além de você ficar apto(a) a qualquer diagnostico que vier fazer.
      A injeção eletrônica em si, não é um bicho de sete cabeças, mas também não se aprende se não conhecer como funciona o básico. Por isso é importante sim ingressar se em cursos profissionalizantes nesta área.
      Parabéns pelo avanço, estas são atitudes de pessoas que não querem ficar para trás da tecnologia.

  4. Artur

    olá, parabens pelo site. muitas informaçoes, legal!pena que so descobri agora que
    estou com um problema. meu carro tem este sistema de injeçao. estava com um mal contato no aterramento… um que esta no coletor de admissao… hoje depois de falhar varias vezes decidi arruma-lo. porem depois de fazer isto a luz da injeçao nao acende… a bomba de combustivel manda um sinal mas nao funciona o carro… a luzinha nao acende com meia chava.. com nada… me ajude por favor!!

    1. Mecânica Solique

      Olá Arthur, obrigado por sua visita, seja bem-vindo!
      Arthur, desligue novamente o terra que você ligou e repare se volta ao normal.
      Pode ser que este terra que você ligou, não seja um terra e sim um fio positivo qualquer. Se for positivo, com certeza queimou fusíveis ou algum relê.
      O correto seria você levar a uma alto elétrica.
      Abraços.

  5. Marcelo

    Ola, Tenho um santana 92 com o sistema de injeção LE-Jetronic e gostaria de saber porque a luz da injeção fica piscando toda vez que eu dou uma reduzida na velocidade do carro, ja troquei os bicos injetores no começo parou mais agora começou novamente, o que fazer, me ajude.

    1. Mecânica Solique

      Olá Marcelo,
      Você terá que levar em uma oficina especializada em injeção eletrônica e rastrear o sistema de injeção de seu carro para descobrir o que é, Geralmente este caso acontece por causa de entrada de ar falso, mangueira do hidrovácuo. Alguma mangueira de vácuo ou o problema pode estar no atuador de marcha lenta, Map. Mas mesmo assim faça o teste do sistema de injeção em uma oficina especializada.

      Abraços e agradeço por sua visita e comentários.

  6. Antonio Bicalho

    Olá, tenho um santana 93 com injeção Le-Jetronic, já deu poblema no medidor de fluxo de ar e cenral ezk e o conserto ficou muito caro, este medidor de fluxo de ar te uma trilha que desgasta e algumas pessoas refaz mas dá só três meses de garantia e não dura mais de três meses não, o meu foi recondicionado a quatro meses e já esta com a trilha toda desgastada, acho que eles usam uma cola com grafite para refazer essa trilha mas tem pouca resistência mecanica, minha duvida é se compensa trocar a Le-jetronic por uma MI, se tem como trocar usando o mesmo motor motor, cabeçote, por causa da roda fônica, alojamento dos bicos, coletores, enfim o que que eu preciso, na parte eletrica tem relés, bomba, sensores e atuadores, chicotes,central etc… me dá uma dica, essa injeção Le-Jetronic não tem peças de reposição, só usada e raras e caras, sou cadeirante e meu carro é como se fosse um membro do meu corpo para me locomover, aqui onde moro cidade de Itabira-MG só tem morro e é muito dificil de locomover de cadeira de roda,não estou mais aguentado manter as despesas do carro. Obrigado!

    1. Mecânica Solique

      Antonio,
      Eu não sei ao certo, talvez até tenha jeito de mudar o sistema, mas mesmo se tiver, eu não recomendaria, porque não compensa. Fica muito caro e varias adaptações teriam que ser feitas, tanto na parte física (mecânica) como no sistema de injeção, parte elétrica, sistema de alimentação, etc.
      Muita coisa tem que ser trocada: Central, sensores, atuadores, coletor de admissão, escapamento, boia do tanque, chicote elétrico, etc…
      É como disse, não sei exatamente o certo, o correto seria você consultar um eletroeletrônico que tenha muito conhecimento ou trocar ideia na concessionária, bem que eles vão falar que não da certo, mas não custa tentar.
      Abraços.

  7. Fabio Dornelas

    Olá,estou adapitando o sistema de injeçao do gol gti 93 em um gol 90,tenho uma duvida onde fica o sensor de velocidade desse sistema?Obrigado pela atençao.

    1. Mecânica Solique

      Fábio,
      Sensor de velocidade!?
      Acredito que neste sistema de injeção por ser analógico, não tem sensor de velocidade.
      Tem sim, sensor de rotação.
      Abraços.

  8. Fabricio Ferreira Carvalho

    Tenho um monza classic EF 500 1990 e ha pelos cinco anos faz 5 km/l na cidade e atualmente desconfio que o interruptor da borboleta de aceleraçao esteja com defeito pois quando coloco o multimetro digital na escala de ohms nos pinos 2 e 18 o multimetro mostra o numero 1 ou seja mostrando resistencia infinita no entanto nao me preocupo em colocar a borboleta fechada ou aberta, pois nao sei como fazer isso, essa peça nao vende em nenhuma autopeças aqui em fortaleza, encontrei somente na internet na Nafil com preço de 300 reais mais ou menos, no entanto me preocupo em comprar uma peça que nao tenho certeza que esteja com defeito, pois ela causa falha no motor em toda faixa, e isso nao esta acontecendo!voce poderia me ajudar

    1. Mecânica Solique

      Fabricio,
      Se durante cinco anos não houve alterações no consumo, então o problema não é no corpo de borboleta.
      Esta peça tem a função de apenas dosar a entrada de ar no sistema, através do acelerador. O que você tem que ver são os sensores e atuadores que regulam os fluxos de ar e combustível: como sonda lambda (se tiver), map, maf, bicos injetores, regulador de pressão, Testar bomba de combustível (vasão e pressão), enfim todo o sistema de injeção.
      Abraços.

  9. Fabio Dornelas

    Entendi,entao esse sensor de rotação fica no distribuidor?

  10. fernando

    ola , tenho uma duvida , onde fica a entrada para por o scanner nesse sistema

    1. Mecânica Solique

      Fernando,
      Qual o modelo do veículo?
      Os conectores ficam geralmente em baixo do painel, lado esquerdo do motorista.
      Abraços.

  11. Fabio

    Olá, tenho um santana 93 com injeção Le-Jetronic quero por um carburador 2e qual seria a dificuldade na troca?

    1. Mecânica Solique

      Fábio,
      A dificuldade é a mesma de passar de carburado para injeção, claro que os gastos são menor, particularmente prefiro esta injeção do que um carburador!
      Mas, não é a minha preferencia a questão e sim a sua né! Você terá que copiar um sistema carburado de um carro igual ao seu! Eliminar todo o sistema de injeção, parte elétrica, encanamentos, painel e refazer como num sistema carburado. Envolve, mecânicos, eletricista além de tempo e dinheiro.
      Abraços.

  12. Sergio

    Ola! Tenho um ford versailles royale e começou a misturar agua e oleo. O problema é que mandei para o mecanico plainar e retificar os cabeçotes. Ocorre que apos isso o carro não segura mais a marcha lenta a luz da injeção da duas piscadas e uma pausa e ele até segura depois de algum tempo mas é so desligar que ele não pega mais (parece que fica afogado). Pesquisei as piscada e verifiquei que se tratava do sensor de temperatura da agua, troquei e continuou igual. Mandei arrumar o modulo de injeção central, coloquei e continuou igual. Mexi no chicote e continuou igual. Estou pensando em desmanchar o carro e vender as peças mas antes queria te perguntar se vc conhece aqui em SP algum mecanico especializado em injeção analogica de preferencia na zona norte.
    Grato

    1. Mecânica Solique

      Olá Sérgio,
      Não desmanche o carro só por causa de uma pane!
      Ai em São Paulo não conheço oficinas e nem mecânicos, mas a cidade é enorme e com certeza há algum mecânico especializado em injeção analógica. Esta injeção é muito fácil, porém complicada para leigos, requer paciência e conhecimentos, muitos testes, e testes. Este teste das piscada tem que prestar muita atenção e saber deduzir exatamente a causa. Também talvez seja que os primeiros códigos não seja o defeito, tem que esperar o próximo código, interpretá-lo e corrigir a falha. Outra coisa que tem que ver é se quando da retirada do cabeçote, não ficou cabo terra sem ligar, este é um problema comum e responsável pela maioria das panes.
      Abraços.

  13. kaio enrico

    olá tenho um monza 500ef 90 gasolina ela alterna bastante o CO meu mecânico regula ele entre 2.7 e 3.0 basta dar uma volta e mede de novo ele esta com 5.8 infelizmente ele não conhece quase nada desse tipo de injeção e eu muito menos aqui em sp nos lugares que andei ninguem que mexer com esse carro por favor me de uma luz onde posso esta regulando o nivel de CO e poque ele não esta conseguindo deixar travado nessa regulagem de 2.7 e 3.0 obrigado.

    1. Mecânica Solique

      Kaio,
      Depende da situação que se encontra internamente o motor, se há desgastes muito grande nos cilindros, pistões e anéis, cabeçote, raramente conseguirá resultados satisfatório, porque quando é feito o teste o motor deve de estar aquecido e se estiver passando óleo para a anti-câmara do motor impossível dar resultado baixo.
      Abraços.

  14. edson carlos

    edsolique boa noite tenho um gol gti muito novo mas esta com defeito, o carro pega normal vai em qualquer lugar mas depois se vc para e desliga quando volta a ligar anda um pouco e da 2 picadas depois da 4 piscadas da estouro no escapamento e morre so pega depois de um tempo e anda normal, sou mecanico de injeçao mas preciso da ajuda

    1. Mecânica Solique

      Edson,
      Pode estar com problemas na bobina ou central da ignição.
      Abraços.

    2. alfredo seefeld neto

      tenho um santana glsi e tb dava 4 na luz da injeção no painel , e o problema era no sensor de detonação fio rompido amarelo que vinha do modulo ezk.

  15. Giovane da Silva

    Amigo adorei a reportagem, mas tenho uma duvida que voce talvez nao saiba responder… a partir de 1991 quando nasceu o primeiro Santana Injetado, TODOS são injeção ? quais sao e quais sao carburador ainda ? Outra pergunta… consigo turbinar um santana com 1 bico ou vou ter que mudar para flalta de 4 bicos ? posso trabalhar com 1 bico e um suplementar na tampa ?
    Abraços e parabens

    1. Mecânica Solique

      Giovane,
      Nem todos são injeção. O Santana tem seus motores a maioria carburado 89/90 para baixo.
      Não sou especialista em turbos do sistema Otto, por isso pouco saberia lhe dizer como fazer o que fazer!
      Abraços.

  16. luiz

    qual relé é esse ai, ele é tipo temporizado? vc tem algum número de peça pra que eu possa estar me orientando pra comprar? obrigado e muito bom seu blog e suas materias

    1. Mecânica Solique

      Luiz,
      O seu eletricista sabe onde vai este relé e sabe como funciona ele também, passar para você por comentários vai complicar ainda mais. O correto é estar junto com o eletricista e ele te passará corretamente como proceder.
      Abraços.

  17. Doris

    Suas informações são muito úteis. Mas estou com um problema. Tenho um Verona 93 com esta injeção. Estava dando muito problema porque o carro é GNV. Um conhecido sugeriu colocar a injeção do Santana MI, que tem conector e não têm fluxo de ar. Fizemos isto, mas a oficina fez um serviço “porco”. Você indicaria alguém para dar uma geral?

    1. Mecânica Solique

      Doris,
      Este é um tipo de problemas que raramente alguém pegaria para diagnósticos, porque existem alterações no sistema. Eu indicaria para você levar e deixar em uma auto elétrica de sua confiança o seu carro, porque o eletricista vai ficar dias, semanas para colocar tudo no lugar e funcionar corretamente.
      Abraços.

  18. Crioucris Corintiano

    ola tenho um sapao xr3 ele tá muito acelerado na lenta quase 2000 rpm não sei mais o que fazer nenhun mecanico sabe regular vc tem alguma sugestão ??

    1. Mecânica Solique

      Criouscris,
      Verifique possível entrada de ar através do coletor de admissão, base do carburador, hidrovácuo, mangueira do hidrovacuo, borboleta do acelerador, valvula ou agulha da marcha lenta, gicle da marcha lenta invertido, travado ou entupido, etc.

  19. Alessandro (sancar)

    E ai tudo bem, estou mexendo em um escort xr3 que chegou de outra oficina, onde fizeram o motor e não conseguiram funcionar, pois quando vira ameaça e da um estouro e não acelera. Já conferi ponto, fluxo de ar ,bobina, centrais agora to na duvida como é o sinal 1 do rele se e pulso ou não. Porque não vi nada chegando lá e caso não for vou verificar algo no motor.Pode me ajudar?

    1. Mecânica Solique

      Alessandro,
      O motor pode estar fora do ponto, ou então o sensor hall, ou distribuidor pode estar com problemas, ligações da ignição errada….

  20. toni

    pode ser o regulador de pressão de combustivel que fica na flauta, já aconteceu com meu santana 93 LE JETRONIC, o diafragma do regulador furou e a gasolina passou para dentro do coletor aogando o motor. Bom, é um item que pode ser verificado facil.

    1. Alessandro (sancar)

      Vou verificar. Também vou checar curto circuito em algum chicote pois já verifiquei continuidade, de qualquer forma agradeço pela força

  21. edson

    boa noite tenho um gol gti 1994 e de uns dias para cá ele começou a queimar o relé eu compro outro e volta a queimar depois de algum tempo ja foram resoldados e mesmo assim com o carro parado funciona normal mas quando saio com ele na rua ando pouco ,ja foi verificado curto bomba tudo .me ajude

    1. Mecânica Solique

      Edson,
      Continua em curto circuito nesta região do rele, ou então curtos em outras áreas do chicote elétrico, rele não compatível, caixa de fusíveis e reles…

  22. ricardo caixeta

    olá boa noite pessoal tenho um gol gti 94 com essa injeção o meu carro está fazendo o seguinte ele pega mas não mantem o motor funcionando e não acusa defeito de injeção no painél fiz revisão elétrica nele e deu esse defeito depois de alguns dias.o que pode ser.

    1. Mecânica Solique

      Ricardo, pelo seu relato tudo indica que o problema está onde foi mexido na parte elétrica!

    2. toni

      olha o chicote dos bicos injetores, eles ressecam com o excesso de calor que seta submetido e qualquer mexida pode quebra-lo, olha também as resistências dos bicos que fica no mesmo chicote.

    3. Alessandro (sancar)

      Verifique se o relé tá ok e confira td parte elétrica novamente

  23. Ricardo Oliveira

    EdSolique, parabéns pelo site…De grande utilidade.
    Tenho uma dúvida: Meu GTi 94 não está segurando a marcha-lenta. Estava tudo normal.
    A priori, o que você acha que pode ser?

    1. Mecânica Solique

      Ricardo,
      Pode ser atuador de marcha lenta com problemas.

  24. lucas

    tenho um gol gti 1993 e caro o bicoo injetor dele ? e e dificil achar peças da injeçao?

    1. Mecânica Solique

      Peça não é difícil de encontrar! Em algum lugar do Brasil encontra peça para qualquer tipo de veiculo em circulação.
      Agora o valor não sei lhe dizer!

  25. josé gabriel vidal

    bom dia tenho um escort xr3 2.oi com injeção eletronic e de um tempo pra cá ele começou a dar problema e eu moro em são sepé rs e aqui ninguém mexe nesta injeção faz 3 meses que estou com o carro parado já troquei por conta o fluxo de ar e o modulo e o carro continua com o mesmo defeito será que poderiam me ajudar ou me dar uma dica de qual seria o problema os simtomas dele é o seguinte as vezes ele pega e as veses ele não pega pega e apaga e quando pega ele esquenta e perde a rotaçãoe com o fluxo de ar velho ele só pega se estiver com o plugue do sensor desligado por favor alguém poderia me ajudar desde já agradeço!

    1. Mecânica Solique

      Complicado o seu caso em amigo!
      Você já experimentou testar a bomba de combustível ou trocar o filtro de combustível?

A sua dúvida, opinião e cometários é muito importante para todos os leitores. Agindo assim ajudaremos a todos!

More in Injeção eletrônica (16 of 23 articles)

%d blogueiros gostam disto: