gerenciamento eletronico

Problemas no gerenciamento eletrônico de combustível, como eliminá-los?

No artigo a seguir escrevo sobre problemas com a S10, mas na verdade o artigo mostrara no geral que o conteúdo serve para quaisquer modelos de caminhonetes ou qualquer veiculo a diesel com sistema eletrônico de injeção de combustível.

Citei a S10, porque estou recebendo vários comentários, e-mail e até telefonemas para esclarecer certas duvidas a respeito de defeitos constantes que aparecem na S10, Ducato, Iveco, e outros e que por sinal segundo os leitores e colaboradores dizem não ter solução.

Lembrando que não sou perito e nem mestre no assunto, mas procuro sempre levar a melhores informações na intenção de solucionar os problemas. Claro que nem sempre é possível solucionar problemas complexos respondendo uma simples mensagem ou um telefonema. Estes tipos de diagnósticos devem ser feitos pessoalmente e isto torna se impossível, porque também não é o objetivo do blog resolver problemas e sim levar informações técnicas.

Leia também: Problemas e soluções injeção eletrônica diesel - parte 1

Motor MWM Sprint 4.07 TCA

O motor MWM Sprint 4.07 TCA eletrônico de 2800 litros, é um propulsor excelente de uma tecnologia pra lá de espetacular. Todos os sistemas funcionais, além da elegância da caminhonete que adotou com majestade este motor. Se olhar bem, vimos que o motor se encaixa como uma luva neste veiculo da GM. O sistema eletrônico é gerenciado com equipamentos da Bosch e sem sombras de dúvidas também encaixa perfeitamente ao longo do motor e da carroceria. Podemos ver que não existem sobras ou componentes fora do lugar de onde deve estar atuando, parece até que a MWM Motores e a Bosch juntamente com General Motors trabalharam quase que talhando os detalhes.

Mas não pense que esta tecnologia é o bastante! Depois deste modelo muitas coisas mudaram e as ampliações, às modificações foram assustadoras, você verá no decorrer do artigo. Existem também as controvérsias sobre este motor, sobre o sistema eletrônico e, também pelo total, que envolve todo o veiculo.

A verdade deve ser dita, os méritos devem ser dados e o que é bem feito tem que ser mesmo elogiado sempre. Mas também não podemos passar por cima dos detalhes contrários, dos problemas constantes que vem acontecendo.

Quais  os pontos negativos deste veiculo?

Particularmente não sou um destruidor de ideias ou projetos e sim um simples reparador técnico que jamais despreza àquilo que a engenharia constrói.

Por isso, não encontrei nenhum defeito ou pontos negativos e sim muitos defeitos encontrados ao decorrer da usabilidade.

Posso afirmar sim: que tudo funciona perfeitamente. Mas por incrível que pareça existem muitas reclamações por parte dos proprietários adquirentes e também dos reparadores deste tipo de veiculo, praticamente depois de vários anos de uso. Por estes motivos, resolvem afirmar que o sistema não funciona ou pior ainda não presta. Isto é um absurdo, penso EU! Mas como não estou aqui para julgar ou pensar nas atitudes afirmações ou reclamações, seguiremos com nosso trabalho que é informar.

Quais as principais reclamações e os principais defeitos?

Aqui no blog, na oficina e em outras reparadoras, as maiores reclamações são:

  • Perca de potencia;
  • Motor apaga e demora pegar;
  • Motor em certa velocidade corta e às vezes apaga e outras reclamações.

A maioria dos reparadores se perde no diagnostico deste tipo de sistema, diz fazer de tudo e nada solucionar e, quando soluciona não sabem os motivos.

As peças muito caras e sem alternativas de recuperação, como bomba e bicos injetores, por exemplo, e outro sistema ligado, falta de informação, etc.

No começo dos diagnósticos deste sistema, também pensávamos igualmente, porém resolvemos conhecer o sistema, assim com certeza chegaríamos a um contexto.

Isenção dos Problemas

Este motor, o sistema, e todo o veiculo mesmo que de ponta, não está isento e jamais estará de problemas, afinal é um veiculo como todos os outros que tem um motor de combustão interna, câmbio, diferencial e sofre atritos, gasta os freios, danifica o sistema elétrico, eletrônico, roda por estradas acidentadas, enfrenta o frio, chuva, calor, é submetido á varios funções diferenciadas, enfrenta vários tipos de condutores, etc. Logicamente sem exceção vai sofrer os desgastes naturais.

Conhecendo o sistema eletrônico

Analisando todos estes pontos, decidimos então conhecer como que funciona o sistema eletrônico, o motor, a sua construção e todo o sistema elétrico. Assim pudemos entender certos problemas que hoje se tornaram banais, ou seja, fácil de resolver.

Logicamente que tivemos que fazer alguns cursos, participar de palestras, praticar no dia a dia até solucionar alguns problemas e quando faltavam conhecimentos, entravamos em contato com técnicos com maior capacidade, com técnicos da montadora do motor do sistema e aos poucos foram clareando as ideias tornando-se o que era complexo em compreensível.

Tudo isto tecnicamente, porque na prática o desafio é superior a qualquer compreensão, porque defeitos são diferenciados e jamais se assemelham o de ontem, ou seja, o diagnóstico continuara ser da mesma forma, porem o defeito que era ontem, por exemplo, na bomba de alimentação em uma determinada caminhonete, não poderá ser o mesmo em outra, até poderá, mas não exatamente igual. Mas o bom de tudo, é que usufruímos da técnica, ficando assim muito mais fáceis quaisquer diagnósticos.

Não troque peças desnecessariamente

A S10 eletrônica, não somente este modelo, mas todos os modelos eletrônicos têm vários problemas complexos e trocar peças sem descobrir as causas ficam ainda mais complexos!

Antes, deve ser feitos analises pelos vários sistemas envolvidos:

  • Injeção eletrônica;
  • Sistema elétrico;
  • Sistema de alimentação da linha de baixa pressão;
  • Linha de alta pressão;
  • Sistema de turbo;
  • Sistema do arrefecimento;
  • Sistema mecânico, enfim, entender as funcionalidades de todos os sistema envolvidos.

O reparador tem que avaliar os problemas gravados pela central do veiculo que é o coração do sistema eletrônico, nesta central está todos os parâmetros dos funcionamentos dos atuadores ou sensores, mas também não podemos ignorar os problemas mecânicos e elétricos, como por exemplo: aterramentos, alimentação da bateria, funcionamento do alternador, temperatura e defeitos na mecânica do motor.

Lembrando que todos os sistemas devem estar em perfeitos funcionamentos. Se um falhar, com certeza vai prejudicar os demais!

Visualizando os defeitos através do Scanner

Quando é feito a leitura através do Scanner, ou qualquer outro aparelho de diagnostico, vários defeitos gravados nos são mostrado, mas nem todos são realmente problemas. O que acontece é que o sistema eletrônico nesta ou em qualquer outro veiculo trabalha em serie com seus componentes conjugados com todos os sistemas do motor, ou seja, um depende do outro para um perfeito funcionamento. Por estes motivos trocar peças ou achar que é isto ou aquilo, não resolvem os problemas.

Tipos de problemas

Atualmente existem dois tipos de problemas: os naturais e os colocados!

Defeito Colocado

Existe um tipo de defeito que é o mais cruel para qualquer reparador ou técnico em mecânica automobilística: O defeito colocado.

Este tipo de defeito causam panes irreversíveis no sistema eletrônico e no motor; Um exemplo bastante Cruel: Alterações no sistema do modulo de injeção!

Como que se faz isso?

Existe várias maneiras de alterar o sistema eletrônico de um veículo, mas o citado abaixo é o mais cruel! Alguém vai lá e "Chipa" o módulo de injeção.

Pronto estará arruinado todo o sistema eletrônico. Dois motivos de alterações em um só aconteceu: Primeiro porque abriu a ECU e segundo porque alterou todo o circuito eletrônico.

Isto vai trazer serias consequências para o sistema eletrônico, elétrico, ABS, Transmissão, Cabine... e danos ao motor. Defeitos quase que impossíveis de ser diagnosticado, leva se dias e dias para solucionar, podendo até ser necessário ou a substituição do modulo de injeção e de outros módulos em caso de rede CAN e, dependendo da situação a desmontagem total do motor para manutenção.

Rede CAN

Antes os módulos gerenciava de maneira avulsa os sistemas eletrônicos de injeção, transmissão, alarme, velas aquecedoras, freios ABS, etc. Cada um exercia a sua função, mas não com tanta eficiência se estivesse ligados em série. Então para que o sistema pudesse atender todas as funções elétricas e eletrônicas com eficiência foi criada uma rede de Centrais todas ligadas em paralelo a“REDE CAN”.

Esta rede monitora praticamente todo o sistema eletrônico do veiculo. Cada modulo continua com as sua função especifica, mas recebe ordem de uma central mestra.

Agora imagina só “Chipar um destes módulos?” Ou então executar em sua carroceria solda elétrica com a bateria ligada? Ou então, por acidente quebrar um fio do chicote, causar um curto circuito, instalar erroneamente um equipamento eletrônico como, por exemplo, um toca CD ou qualquer outro equipamento eletrônico. Com certeza o motor não irá funcionar. Trocar peças como: bomba de alta, bomba de combustível, sensores, atuadores, reles, tubo Rail ou qualquer outra peça o motor não irá funcionar enquanto não desfazer o mal feito!

Buscando o conhecimento

Os reparadores sem sombra de dúvidas devem buscar o conhecimento, participar de palestras, cursos, trocar ideias por mais boba que seja, será válida hoje ou amanhã. Nunca pense que já sabe do assunto por que não sabe, e ninguém sabe tudo. Neste mundo da injeção eletrônica cada dia fica complicado, porque o sistema evoluiu e se tornou conhecido como: Gerenciamentos de sistemas eletrônicos. Injeção eletrônica já é passado, não assusta mais! Hoje temos a bordo dos veículos atuais, gerenciadores de sistema!

"Não basta mais ser reparador, tem que participar, buscar informação, se adequar, especializar"

Quais os conhecimentos, as ferramentas para diagnósticos?

Toda oficina mecânica hoje deve estar preparada eletronicamente com os mais avançados aparelhos de medições e reparos. Isto não é mais luxo ou poder é necessidade, ou então não conseguirá seguir no mercado de reparação automobilística em geral.

O reparador tem a obrigação de conhecer o básico de eletricidade de automóvel, eletrônica, informática e muitas outras informações. Para diagnosticar qualquer defeito de funcionamento do sistema eletrônico, o reparador deve conhecer a fundo como que funciona um multímetro, o Scanner saber interpretar esquemas elétricos e eletrônicos, conhecer a função do osciloscópio, medidores de pressão, compressão, temperatura outras ferramentas importantes.

Ler e Interpretar os diagnósticos

Ler e interpretar o sistema eletroeletrônico de um veiculo, seja ele diesel ou Otto, já é meio caminho percorrido, quando se trata de diagnósticos através de aparelhos de rastreamento. Ferramentas como:

  • Caneta de prova;
  • Teste de lâmpada;
  • Simuladores e outros já não convém.

Estas ferramentas causam erros de leituras e ainda influencia no funcionamento da rede CAN. Em vez de medir algo, cria mais uma resistência no sistema elétrico.

Dirigibilidade

Outra mudança urgente é a compreensão de como usar, conduzir veículos eletrônicos!

Os cuidados que se deve ter ao dirigir determinados veículos, na verdade é quase que pilotar, porque existe um painel de comandos abordo onde todas as funções devem ser seguidas e as ordens respeitadas. O carro atual só falta falar. Se isto já não estiver acontecendo!

Recentemente participei de um curso de injeção direta do sistema Otto aplicado na Captiva, e o professor regente do curso diziam que:

Os veículos leve ou pesado da atualidade, vem instalado de fábrica um rádio e este rádio não é removível como os tocas CD, ele faz parte do painel do veiculo.

Sabe por que este rádio não deve ser substituído?

Porque além de vir com todas as funções necessárias de um toca CD dos mais atuais, ele exerce várias outras funções de extremas necessidades para o veiculo.

Exemplo: foram extintos alguns sistemas sonoros dos veículos atuais.

O rádio é o responsável por assumir estas novas funções, como: substituir (aquele tec tec do pisca-pisca) que antes exercido por um relê de pisca! O Rádio trabalha muitas vezes com orientação, ou seja, sinais emitidos pela rede CAN. Lembra-se da rede CAN que mencionei logo acima? Pois é, neste veiculo existe uma rede interligada (rede CAN), ou seja, existem vários módulos para gerenciar partes isoladas do sistema do veiculo, onde cada módulo tem uma função especifica e que recebe ordem de uma central mestra. Estes também são aplicados nos novos veículos com gerenciamento eletrônico de combustível diesel.

Defeitos naturais

Outros defeitos são os naturais. Estes defeitos acontecem por desgaste, deterioração dos matérias elétricos, conectores, por curto-circuito, falta de manutenção mas fácil de diagnosticar e sanar os defeitos através de testes simples.

Consciência e determinação

Consciência e determinação evita muita dor de cabeça para o condutor e para o reparador.

Para que isto aconteça, foi criado pelas oficinas mecânicas de maior porte a manutenção preventiva, evitando surpresas desagradáveis e quebras repentinas que geralmente acontecem quando se está viajando.

O que se deve ter em consciência é o seguinte: Se uma luz de anomalia acende no painel pela primeira vez é porque existem problemas, então dirija se rapidamente a um posto de serviço para saber o porquê e se for o caso acione um guincho, para evitar maiores danos. Muitos ignoram esta advertência e vai indo, indo até que um dia não vai mais, e para completar levam o seu veiculo em lugar onde não existam equipamentos, profissionais qualificados, agravando ainda mais os problemas.

É comum pegarmos motores travados, por falta de lubrificação ou por falta de refrigeração, e ainda juram não ter acendido luz nenhuma no painel.

Também existem muitos problemas de injeção que chegam a nossa oficina por falta de manutenção, por muitos que já mexeram, mexeram e não deram conta de solucionar o problema. O ultimo é o mais terrível, porque já foi fuçado em tudo, já foi trocado tudo, o cliente gastou horrores e talvez tenha que gastar tudo novamente e um pouco mais.

Manual do proprietário

No manual do proprietário existem todos os tipos de advertências, tanto como no painel do veiculo. Se uma luz acende é porque existem problemas e precisa ser analisado o sistema, ou seja, dirigir imediatamente a uma concessionária o mais rápido possível.

Estes sinais luminosos indicam e descrevem possíveis panes, graves, gravíssimas ou apenas de manutenção. No manual também indica o local onde está instalada, a função de cada uma. Tudo isto foi colocado aí pela própria montadora, para poupar o motor, o cambio, os freios, a parte elétrica, eletrônica, dirigibilidade, o bem estar do condutor, etc. Mas quem é que lê este manual?

Conclusão

Para finalizar uso uma técnica infalível! Conversar com o cliente, fazer perguntas, explorar o que vem acontecendo, o que já foi feito, como e onde aconteceu, em qual percurso, qual quilometragem, enfim pegar todas as informações possíveis.

Amigo reparador. A melhor parte do diagnostico é conversar com o cliente, ele sabe exatamente o que aconteceu, pode crer funciona, porque o cliente te passa na primeira conversa, todo o defeito do carro dele sem saber disso. Ou seja, é na recepção, no atendimento, que está a solução dos problemas do seu cliente e o seu! Pode prestar atenção!


Conheça também os manuais técnicos:
MTCO - #Manual técnico de Corte de Óleo
MTRMF - #Manual técnico da Retifica Motor do Fusca


Gostou do artigo?

Deixe aqui o seus Comentários a sua Opinião, Compartilhe!

Siga me também no Twitter - Facebook - Linkedin - Google+

Ou então Assine a Newsletter de Mecânica Solique e receba as novidades do blog em seu E-mail.


Mais sobre: ,