«

»

Fiat Ducato 2.8 Motor Pega e Apaga

Fiat Ducato 2.8 Motor Pega e Apaga

Abordarei neste artigo dois assuntos: O primeiro é sobre um defeito cabuloso e solução em uma Van Fiat Ducato; o segundo é sobre anomalias em módulos de injeção.

Quando se trata de defeito em módulos de injeção os diagnósticos são complicadíssimo de ser avaliados.

Na verdade os diagnósticos complicam-se quando se trata de eletrônica embarcada e o módulo é o que mais da dor de cabeça, porque apesar das panes nele registrado ainda é funcional e engana muito.

van fiatFiat Ducato 2.8 eletrônica

O Motor pega e em seguida apaga!

Quando esta Ducato chegou na oficina, dava se partida, o motor funcionava beleza, mas ao atingir 4000 giros o motor cortava (afogava), dava partida novamente e os mesmos procedimentos ocorriam. Conectamos o aparelho de diagnóstico e os primeiros erros indicados foram: Rele principal e sensor de velocidade. Parecia um defeito banal, muito fácil de resolver, não?

Foi o que fizemos. Trocamos o rele principal, aí meu amigo, geraram vários defeitos inconvenientes, um deles: o motor pegava, mas passou a afogar em menos de um minuto. Os defeitos simples transformaram-se num grande dilema, passamos semanas até chegar a uma conclusão.

Para piorar, vários novos erros foram gravados. Então, trocamos sensor do tubo rail, bomba elétrica, filtro de combustível, rele principal, rele da bomba, testamos os bicos, válvula reguladora de pressão, vasculhamos todo o chicote elétrico, o sistema de alimentação de combustível, abrimos a caixa de fusíveis e reles, chegamos até pensar em problemas com o motor e por ultimo trocamos a bomba de alta, pois chegamos a uma conclusão que faltava alimentação de combustível tudo em vão, o problema não foi solucionado. Retiramos então o módulo de injeção e mandamos para outro Estado em um técnico capacitado por indicação. Dias depois a mesma voltou para nossa surpresa, pois foram relatados, segundo o técnico não haver qualquer danos ou avaria no módulo. Voltamos a estaca “zero”, sem saber exatamente o que acontecia e qual era realmente o problema.

No dia seguinte…

Recorremos a uma autorizado Bosch, pois o sistema do Fiat Ducato é Bosch. Novos e cansativos testes foram feitos e chegou se a conclusão que o problema era no módulo, afirmava com certeza o técnico da Bosch, pois o aparelho de diagnóstico dele era totalmente avançado e a leitura precisa. Novamente a mesma foi levada para um representante capacitado do grupo desta autorizado, onde foram constatado varias anomalias no módulo de injeção. Mas somente o módulo não resolveria os problemas da Van, precisava também ser enviados o painel do veiculo e a chave CODE, para serem todos configurados e ainda deveria ser eliminado do sistema qualquer tipo de instalação que não fosse original do veiculo, como: rádio amador, toca CD, rastreador, etc.

Segundo diagnóstico no módulo

Foram constatado que no módulo havia vários curtos nos circuitos internos e precisou ser trocada e ainda corrigir as causas que gerou estes curtos também no veiculo (precisamente em todo o chicote elétrico).

Novos testes foram feitos e encontrados vários fios ligados de maneiras incorretas no chicote da injeção, foram instalado acessórios comprometedor ao sistema de injeção e de maneira grosseira, reles auxiliares e outras ligações fora do comum. Com isto gerou sobre carga no sistema eletrônico e no módulo. Foram descobertos sinais insuficientes no sensor do rail, sensor de temperatura, bloqueio no sistema elétrico da bomba de combustível, aterramento desligados e corrompidos, enfim, o módulo suportou todos estes impactos até não resistir e ser danificado.

Solução

Depois de muitos testes foram constados problemas na instalação elétrica, curto circuito em fios positivos dentro do chicote, rompimentos de fios, ligações clandestinas que gerou a queima do módulo, por isso as informações enviadas por ela era totalmente confusa a ela mesma, porque ao mesmo tempo que o módulo enviava um comando, o mesmo retornava a ele como anomalia. Como se no circuito elétrico houvesse um desvio de informação, que não chegava a lugar nenhum e voltava para a origem e isto gerava vários erros.  Por estes motivos em frações de segundos o próximo envio de informação era o corte definitivo do funcionamento do motor, para preservar o mesmo. Esta era a causa do motor pegar e em frações de segundos apagar.

Origem do Defeito

Os defeitos constatados no aparelho de diagnósticos, “Raster” foram Rele principal e sensor de velocidade, como mencionado no inicio do artigo, mas foi após a troca do “rele principal” que tudo começou. O segundo defeito “sensor de velocidade” que apareceu: Este defeito existia porque foi ligado no veiculo um rastreador, e o rastreador substituía o sensor de velocidade, mas a central não reconhece este atuador como rastreador, e sim como sensor de velocidade. Este rastreador corta a bomba de combustível, o sensor de velocidade, o CODE da chave, e a Central.

Observação: Deduzimos não ao certo, que a instalação do rastreador é quem gerou todas estas panes no sistema.

O rastreador não foi instalado novamente por isso não sabemos se foi realmente ele o causador das panes e queima da central, pode ser que sim e também pode ser que não. Só sabemos que a Van ficou 100% funcional. Não foi passado pela posto autorizado Bosch uma clareza das causas por causa do código de ética do posto autorizado, mas sabemos que se for instalado novamente o rastreador o mesmo deverá ser de maneira a não comprometer novamente o sistema de injeção, e em um posto autorizado por estes serviços.

modulo ECMAnomalias em módulos de injeção

Raramente módulo de injeção dão problemas

Na verdade os danos causados em módulos (centrais) são por:  descuidos, alterações na instalação elétrica, adaptações, reparos através de soldas elétricas, retirada sem maiores cuidados, reparos incorretos, etc.

Atualmente é muito comum que o próprio módulo de injeção forneça o negativo para os sensores do sistema de injeção, e no caso da Ducato um fio positivo pode ter entrado em curto ao negativo que sai do módulo para alimentar os sensores, o pior é que o sistema é protegido por fusível de alta amperagem, mas o mesmo não se rompeu e acabou danificando o módulo de uma forma difícil de diagnosticar. Muitos defeitos não são previstos pelo fabricante, ou seja, não geram um código de erro específico.

Testes devem ser feitos sempre e atenções redobradas, pois os problemas ocorrem por alterações no sistema eletrônico.

Dica: tenho notado que quando há muitos defeitos gravados pela central e o mesmo não se consegue apagar, o problema pode ser na central! Já aconteceu mais de um caso destes em nossa oficina, inclusive na Fiat Ducato, onde foram constatados estes fatos!

Problemas que levam a queima do Módulo

O sistema eletrônico de um veiculo diesel ou Otto (gasolina e álcool), é totalmente funcional, protegido e muito raramente dão problemas, o Módulo de injeção então, é uma peça de uma engenharia fantástica e raramente dá problemas. Há não ser por maus tratos, manuseios incorretos, curto-circuito, etc.

Os problemas na maioria dos casos acontecem quando:

  • O motor ou o cabeçote é retirado do carro,
  • Quando é feito uma simples ligação de um aparelho de som ou outro acessório;
  • Simples troca da bateria;
  • Quando o motor é lavado;
  • Ligações elétricas clandestinas, adaptações;
  • Abertura da caixa do módulo;
  • Caixa do módulo aberta e mal vedada;
  • Adaptações através de soldas elétricas, etc.

Estes, muito das vezes geram problemas irreversíveis. Quantas dores de cabeça já tivemos e temos todos os dias nesta parte?

E o Módulo do Sistema Otto?

No sistema Otto acontece muito queimar o módulo pelos mesmos motivos acima e são comuns veículos com estes tipos de avarias: corsa, Fiat pálio, Celta e muitos outros.

Muito destes problemas vem de outras oficinas e quase sempre sem solução. O módulo registra inúmeros códigos de erros e somente com muitos testes, paciência e perseverança é que se consegue detectar o defeito e solucionar os problemas. Em muitos casos foram substituídos o módulo de injeção, mas após alguns minutos de funcionamento os defeitos voltaram a ocorrer.

Estes contratempos acontecem constantemente e o mecânico, eletricista ou quem estiver envolvido, ficam perdidos, porque já se fez de tudo e a cartada final é a troca do módulo e quando acontece de não ser o módulo aí o bicho pega.

Novos testes então são obrigatórios, porque não houve solução e os defeitos podem ser outros, talvez mecânico, elétrico e não eletrônico.

A troca do modulo é efetuada porque são memorizados inúmeros códigos de erros na unidade e após a substituição os defeitos desaparecem. Problema resolvido, o motor pega, os erros desapareceram. Grande engano, porque o motor após alguns minutos de funcionamento comporta-se mal e o sintoma de pegar e morrer volta, enfim, fica do mesmo jeito!

E agora, o que fazer? Por onde recomeçar? O módulo tem ou não defeitos? O que faço com este novo módulo? Perde se o conhecimento. Mas o importante é não desistir nunca, afinal somos especialistas.

Na oficina mecânica sempre tem um amigo mecânico que passa por perto e nota alguma avaria que talvez não faça sentido no momento, mas que pode ser o ponto X da questão. Temos que acatar quaisquer opiniões, por mais boba que seja. Estes amigos ou quem está de longe ligado, nota no  funcionamento do motor (quando funciona), comportamentos diferenciados do normal: mau cheiro no escape, fumaça branca, preta, falhamentos, estouros, etc. Estes comportamentos na maioria das vezes são mecânicos e não eletrônicos. Pode ser: problemas de escapamento, catalisador, carbonização, obstrução de escape, pressão da linha de combustível, cabeçote ou até mesmo no motor.

Dica: Cheiro ruim saindo do escapamento durante o funcionamento no sistema Otto é devido à falta de negativo (aterramento) que alimenta a resistência da sonda, impedindo assim, seu correto funcionamento.

Substituição do Módulo de injeção (Central)

Antes da troca do módulo é preciso investigar o motivo de sua queima, e ter certeza que realmente está queimado, sem nunca deixar de avaliar suas alimentações. Pelo contrario é por um novo e queimar novamente.

Em muitos casos um curto-circuito é gerado por ligações incorretas de acessórios, troca de fusíveis incompatíveis para qual sistema deve ser protegido, falta de aterramento, fio rompido. Na maioria dos casos a central disponibiliza de um fio negativo para os sensores, pois se ocorrer qualquer curto no circuito entre um positivo da alimentação de sensores, os fusíveis protegem o sistema, e por isso é preciso ter atenção em não aumentar a amperagem de um fusível, pois o seu dimensionamento é projetado para proteger o sistema, inclusive a saída negativa de um módulo em caso de curto-circuito.

Cuidados ao retirar do veiculo o módulo de injeção

  • Desligar a bateria pelo polo negativo;
  • Limpar bem os conectores na hora de ser retirado;
  • Desligar os conectores com todo o cuidado, para não quebrar as travas de segurança;
  • Desligar os fios de massa;
  • cuidado para não derrubar a mesma, risco de quebrar os conectores;
  • não abra em hipótese alguma o módulo, somente técnicos especializados devem fazer isto;
  • Não solde qualquer componente, circuito na placa do módulo. Isto danificará por completo o módulo;
  • Não toque em hipótese alguma nos terminais, conectores, sensores, capacitores interno do módulo;
  • Cuidados para não entortar os pinos na hora da conexão;
  • Em motores diesel eletrônico, jamais solte os conectores dos bicos injetores com o motor funcionando, risco de queima instantânea do módulo;
  • Em motores diesel eletrônico para descobrir defeitos e panes eletrônicas, falhamentos, perca do turbo, falta de aceleração, enfim, quando a luz de anomalia acender, somente através do Scanner ou qualquer outro aparelho habilitado.
  • Muitos outros cuidados devem ser observados em se tratando do módulo de injeção, caso contrario a queima do módulo tanto na retirada como na instalação pode ser fatal.

Dica: Em alguns veículos, como por exemplo: Toyota e veículos com motor Cummins (menos Dodge Ram) é  possível broquear o módulo antes de ser retirada do local através de aparelho de diagnóstico. No caso de um reparo no módulo ou no veiculo como: retirada do cabeçote, motor,  serviços de solda elétrica ou novas instalações.

Este broqueio é feito por aparelhos de diagnósticos originais de fábrica e é usado muito para a substituição da central, assim é possível manter os dados intactos.


Gostou do artigo?

Deixe o seu Comentário a sua Opinião, Compartilhe!

Siga me também no TwitterFacebookLinkedin - Google+

Ou então,

Digite o seu E-mail na caixa abaixo e:

Receba as minhas novidades, lançamentos e algo mais que possa lhe interessar.

 

Digite o seu E-mail aqui:




Enviado por FeedBurner


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Olá, Sejam todos Bem-Vindo ao Blog Mecânica Solique! Atualmente exerço a profissão de Retificador de Motores na linha diesel, álcool e gasolina. Também atuo como: reparador, montador de motores, alguns conhecimentos técnicos em motores com injeção eletrônica sistema diesel e Otto. Deixo claro que na mecânica automobilística é impossível ter conhecimentos totais, pois a cada dia nos é apresentado um novo desafio. "Ter conhecimentos e dedicação todos os dias, é que nos torna profissional em qualquer área, aprendendo todos os dias a ser melhor que ontem" (Edvaldo Dias Solique – (Ajustador Mecânico Automobilístico). Autor do Blog: Mecânica Solique Com o tema: "Mecânica dos Tempos Modernos" E também autor dos manuais técnicos: - Corte de óleo; - Retifica do motor do Fusca.

11 comentários

Pular para o formulário de comentário

  1. leison

    Boa noite Edvaldo.
    To com um problema intrigante no meu GOLF GTI 94/95.
    O que aconteceu foi o seguinte: O carro pegou fogo no chicote e no painel.
    Pois bem, comprei outro chicote completo do mesmo, identico. Coloquei no lugar, porém o carro nao joga corrente de jeito nenhum, ja levei em dois eletricistas e nenhum deles deu jeito, fizeram vários testes e nada.
    Teria alguma idéia do que pode ter acontecido?

    Obrigado pela atençao.
    Aguardo.
    Att: Leison Rocha

    1. EdSolique

      Leilson,
      Pode estar faltando alimentação ou aterramento: na bobina do mesmo ou em algum lugar onde necessita de aterramento, o conector pode estar com problemas, a própria bobina.
      Abraços.

  2. robert m. santo

    Artigo Show !
    Acrescento o seguinte : Pode-se sim retirar conector do injetor quando em funcionamento, desde que coloca-se carga equivalente a impedancia do mesmo.
    boa sorte a todos, saúde e paz…robertocarroseletronica@yahoo.com.br

  3. gilberto

    boa tarde ,lie toda materia e gostei do conhecimento,estou com uma ducato quase igual.só q aparece a falha .. sensor de pressão do rail.troquei o sensor e esta do mesmo geito ,vc pode me dar uma sujestão por gente lesa

    1. EdSolique

      Gilberto,
      Se aparece o defeito e neste sensor, então o problema é no controlador de pressão da bomba de alta ou bicos injetores com retorno acentuado, fora da especificação.
      Abraços.

  4. LUIZ CARLOS DUARTE

    MUIOT BOM ,ESTOU COM UM POBLEMA COM UMA DUCATO A DIESEL 2.8 ELA PEGA E NAO CHEGA LEVANTAR O GIRO E APAGA JA TROQUEI O FILTRO ERA ORIGINAL 2010 ESTAVA MUITO SUJO MAS O POBLEMA CONTINUA E PASEI O SCANER E NAO ACUSA DEFEITO,MAS TAMBEM APARECE A CHAVE NO PAINEL VOCE TEM UMA DICA DO QUE PODE SER????

    1. EdSolique

      Luiz,
      Quando aparece esta chave no painel, quer dizer que o veiculo deve comparecer na concessionária para revisão, somente o aparelho da concessionária irá resolver o seu problema. Isto é uma estratégia da concessionária, para acompanhar e diagnosticar possíveis panes, defeitos simples complicados como que está o desenvolvimento do veiculo no geral. Eles usam estas estratégias para caso precise de informar um recall, por exemplo. Claro que se o veiculo estiver ainda na garantia e nas revisões impostas pela concessionária. Caso não tiver você terá que levar em uma oficina especializada com equipamentos idênticos para diagnósticos. O importante é não trocar nada, mexer em nada até que tenha o motivo da pane, para depois continuar coma manutenção.
      Abraços.

  5. antonio ferreira de sousa

    eu to com um problema em uma ducato ela fonciona depois apaga se der a partida ela so pega se eu desligar o plug eletronico mas fica acessa a luz da injecao

    1. EdSolique

      Antonio,
      Somente fazendo testes, rastreando pode se chegar a uma conclusão dos defeitos de sua ducato. Leve até um oficina especializada para estes procedimentos.

  6. elaine

    to com problema,minha seta do lado direito nao funciona e meu pisca alerta tambem

    1. EdSolique

      Elaine,
      Problemas com aterramentos neste local ou fusível queimado, um bom eletricista conserta isto pra você!

A sua dúvida, opinião e cometários é muito importante para todos os leitores. Agindo assim ajudaremos a todos!

More in Dados técnicos, Dicas, Dicas/Oficinas, informações, Injeção eletrônica (16 of 95 articles)

%d blogueiros gostam disto: