Hoje o post é sobre sistemas de aterramentos. Abordarei aqui a importância deste sistema no veículo, praticamente sem ele nada funciona.

Aterramento ou massa?

O nome aterramento é o mais usado na linguagem dos reparadores, massa é o mesmo tecnicamente mas por hora não soa muito legal, mas está valendo.

O aterramento ou massa é toda parte onde se liga o polo negativo. Em qualquer sistema elétrico além de importante tem que existir, ou então, o sistema não funciona, não existiria uma corrente elétrica. O sistema negativo tem que existir necessariamente porque a corrente elétrica tem que fluir, voltar a fonte e continuar o ciclo.

Eletricidade automotiva

Desde a implantação da eletricidade automotiva lá no início usavam-se muitos fios para ir e voltar em certos circuitos, mas com o passar do tempo e as novas tecnologias viram que isto poderia melhorar e seria muito mais prático e econômico se ligassem o negativo através de cabos a massa (estrutura) do veículo e ao motor diretamente do ponto negativo da bateria. Com isso foi economizados muitos metros de fios, sem contar a facilidade que era fazer uma ligação de quaisquer equipamentos elétricos.

Aterramento na injeção eletrônica

Com a chegada da injeção eletrônica, o aterramento passou a ser essencial, porque foi descoberto que a corrente elétrica de um veículo circulava do negativo para o positivo e não ao contrario como se pensava, tanto que é recomendado no caso do desligamento da bateria para reparos sempre o negativo e depois o positivo, no caso de reparos rápidos desliga-se o negativo mantendo o positivo conectado sem problemas.

O nome aterramento como conhecemos também é conhecido como MASSA, porque toda a sua ligação é conectada através de parafusos ou soldada a massa do veículo (estrutura), chassis, lataria, monobloco, longarinas, etc.

Para a injeção eletrônica o aterramento é usado o tempo todo sem interrupção, mesmo que o veículo estiver desligado algo está funcionando constantemente, desde que exista uma fonte de alimentação ligada.

Componentes eletrônicos

Quase todos os componentes eletrônicos, sensores, atuadores, bomba de combustível tem as suas carcaças aterradas, salvo quando são alojadas em componentes de plásticos, mesmo assim tem um conector no componente que recebe negativo que vem do modulo de injeção, pois o modulo é totalmente aterrado a carroceria do veículo, quando não, recebe em sua pinagem um ou vários fios negativos vindo da caixa de fusíveis que também é aterrada. Enfim, qualquer componente ligado no veículo se estiver ausente de um terra não vai funcionar.

Pulsos elétricos

Além do positivo e do negativo em alguns componentes eletrônicos existe outro pino que recebe do módulo uma frequência, para gerar pulsos. Nunca confunda pulso com aterramento. Como disse o aterramento é uma corrente ligada ao positivo sem interrupção, já o pulso, o nome mesmo diz: PULSO, seu funcionamento tem intervalos PAUZA. Ele funciona por frequência modulada e controlada pelo modulo para aquele e outro componente em tempo corretamente calculado, como por exemplo os bicos injetores.

Defeitos comuns e colocados

Temos na oficina diariamente veículos com problemas de funcionamentos especificamente na injeção eletrônica, motores falhando, marcha lenta oscilando, motor não pega na partida, carros sem desempenho, consumo excessivos de combustível, luzes que não acendem ou permanecem acesas e muitos outros problemas.

Na maioria dos casos isso pode indicar uma pane por ausência de aterramento, curto circuito, ou seja, positivos atracados ao negativo. Isto pode acontecer por esmagamento de um fio, fio ligado em lugar errado, remoção do chicote de seus alojamentos e na montagem podem ficar em outra posição que não deveria e ali por fricção romper a blindagem de algum fio positivo e encostar a massa e, uma porção de defeitos que não existia, mas que foi colocados.

Sistema em panes

Isso é problema sério para o técnico em reparação e, descobrir estes tipos de defeitos, passam horas, dias. Estes defeitos na maioria dos casos não adverte através de luz no painel, e sim acontece de acender todas as luzes de uma vez, ficam piscando ou então nem acende. Experimenta por exemplo, deixar o cabo sem apertar no borne negativo da bateria e sai para viajar, alguns quilômetros verá no painel o resultado. Se conhecer não vai gastar nada, mas se não tiver conhecimento do que pode ser, talvez terá um grande prejuízo na auto elétrica, mas também poderá ser salvo pela honestidade de um profissional.

Elétrico eletrônicos

Vários tipos de panes acontecem no sistema de injeção eletrônica por se tratar de um sistema elétrico eletrônico. Estas panes na maioria dos casos são comuns, como disse, existe muitos componentes eletrônicos com carcaças ligadas diretamente a massa, caso um ou outro componente apresente defeito, entre em curto circuito em sua estrutura, com certeza vai comprometer o fluxo da corrente. Para isso, o técnico tem aparelhos como: multímetros, caneta de prova e outros especializados para diagnósticos que facilmente descobrem as falhas.

Conexão do aterramento interrompida

O que pode causar na injeção eletrônica se um ponto de aterramento não estiver corretamente conectado?
Muitos são as causas se um único ponto de aterramento estiver rompido, desconectado ou até mesmo ausente de seu lugar de origem!

Quando o mecânico se depara com um veículo que chegou à oficina para diagnósticos de falhas no sistema de injeção, é comum agir de imediato na troca de componentes que ele acha.... (Eu disse acha), talvez por estar no momento do diagnóstico apresentando falhas em um atuador ou sensor, quando na verdade não é possível averiguar com certeza um defeito sem ao menos ter medido ou rastreado o sistema. Um exemplo que engana muitos técnicos em reparação em veículos com injeção eletrônica é um simples problema de falhamento.

A primeira coisa que tem em mente é: problemas de cabos e velas, já de imediato troca estas peças, mas antes deveria testar a bobina, alimentação desta bobina, bicos injetores, alternador, sincronismo, possíveis falhas mecânicas, pois ali além de tudo tem o cabeçote que com seus componentes controlam entradas e saídas de gases. Pode estar com a junta do cabeçote queimada entre cilindros, pode estar com entrada de ar falsa, pode estar com um ou mais cilindros sem compressão, devido a uma válvula ter trincado, sofrido detonação, etc. Ou seja, pode ser defeito elétrico, eletrônico ou mecânico

Analise sempre antes de trocar peças, faça testes sempre, mede, compara, estude a causa, com certeza chegará a um resultado excelente.

Quero adiantar para todos os leitores que não sou um expert em injeção eletrônica, não sou eletricista automobilístico, mas tenho que saber pelo menos ligar um alternador, motor de partida ou trocar uma lâmpada queimada não resolvo problemas rapidamente, sofro também neste mundo da tecnologia embarcada, tenho muito que aprender (para dizer a verdade aprender muito mesmo), o que estou passando aqui são as experiências que adquiri nesta minha caminhada como mecânico. Aprender tudo é impossível, por que o mundo da mecânica é uma (caixinha de surpresa), mas todos devem buscar aprender o básico da tecnologia... O restante se aprende no dia a dia.

Texto baseado em contos de amigos eletricistas, eletroeletrônicos e mecânicos profissionais!